Not Like The Movies

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011


ღ Capítulo 3 – Planos 
        
            Segurei o porta-retrato em minhas mãos, analisando a foto de um passado não muito distante em que eu e Justin estávamos abraçados, sorrindo alegremente um para o outro enquanto víamos o sol se pôr no oeste em um desses finalzinhos de tarde perfeito. As lembranças daquele dia rodearam a minha mente mais uma vez trazendo consigo a nostalgia de um tempo em que eu achava que vivia como nos contos de fadas.
Éramos duas peças de um quebra-cabeça que se encaixavam perfeitamente, como se tivéssemos nascido um para o outro, como se a única formula para a nossa cura fôssemos nós mesmos. A melancolia me fez chorar novamente enquanto eu me recordava de quão tola e egoísta eu fui quando quis me matar. E mais uma vez eu me perguntei qual era o motivo aparente pelo qual eu tinha cometido aquele erro. Mas, como sempre, a pergunta não tinha uma resposta concreta. Tentar entender a minha complexidade não era uma coisa que eu fazia com frequência, mas nos últimos dias eu me peguei pensando e repesando nisso. Refleti sobre o modo como eu reagia às novidades, e o que eu fazia quando estava com raiva e como eu me comportava diante de um problema desses que a vida nos “presenteia”. Então, me dei conta de que eu via a vida um modo infantil. Sempre querendo que as coisas estivessem perfeitas ao meu ponto de vista. Sempre discutindo quando alguém discordava de alguma coisa que eu dizia. Sempre amaldiçoando quando as coisas não saiam como eu planejava.
Foi difícil perceber que as coisas não eram do modo que eu queria que fossem. Na verdade, a princípio, foi mais difícil do que eu imaginava do que poderia ser. Mas a vida não é como nos filmes, e eu tinha que entender isso.

            Coloquei o porta-retrato de volta na cômoda e peguei uma tolha numa das gavetas. Segui em direção ao banheiro, pendurei a toalha em um canto qualquer, despi-me e entrei debaixo do chuveiro. Enquanto a água caía sobre o meu rosto, deixei-me levar pelas lágrimas, minha mente revivendo todos os meus caprichos e me mostrando o quanto eu era mimada e infantil.

***

            Antes de sair, me analisei mais uma vez no espelho. Deslizei a mão sobre o vestido florido me perguntando se minha roupa estaria adequada ao lugar que iríamos. Ainda indecisa, peguei uma fitinha de cetim e amarrei-a de forma que acentuasse minha cintura. Hesitante, tirei o casaco de lã bege em que eu estava vestida e o segurei em minha mão. Perguntei-me se ele realmente seria preciso, mas resolvi levá-lo assim mesmo. Chequei se meu celular e minha carteira estavam dentro da bolsa e, quando estava satisfeita, saí do quarto.
            Justin me esperava escorado na parede em frente a minha porta, com seu sorriso casual de sempre. Não pude deixar de notar o quão lindo ele estava vestido em sua blusa azul com a gola em forma de V que mostrava uma parte de seu peitoral e sua simples calça preta. Ele andou em minha direção e quando chegou perto o bastante, beijou-me na testa.
           
            Durante o percurso andamos de mãos dadas, regularmente olhando um para o outro e trocando sorrisos afetuosos. Eu não sabia para onde estávamos indo, porém decidi não perguntar, pois, provavelmente, Justin queria fazer disso uma surpresa. Ele tinha conhecimento da minha aversão a surpresas, mas vindo dele eu sabia que eram de boa intenção; e, geralmente, ele me fazia ótimas surpresas.
           
O tempo estava perfeito. O céu acima de nós estava num azul claro vívido, sem nuvens e sem nenhum indício de poluição. O ar soprava entre os nossos cabelos e acariciava nossas bochechas. Pensei em como eu amava estar ao lado dele e de como eu me sentia extremamente feliz quando estávamos juntos.

Justin me guiou até uma pequena lanchonete de esquina. Ele pediu a garçonete que nos levasse a uma mesa mais reservada, e assim que ela o fez, nos sentamos e fizemos nossos pedidos. Enquanto comíamos, Justin fez algumas perguntas casuais sobre como eu estava, como estava sendo o meu dia e se alguma coisa estava me incomodando. Desde que eu tentei me suicidar ele se tornou um namorado super protetor. Na maior parte do tempo eu odiava tudo isso, mas eu compreendia sua insegurança e seus medos; eu compreendia que ele temia que eu cometesse outro erro e que dessa vez fosse fatal. Eu jamais queria machucá-lo algum dia, embora eu já tivesse magoado-o uma vez. Mas vê-lo entrar em pânico sempre que me via chateada era a pior coisa do mundo – porque ele sabia que antigamente quando eu ficava chateada, eu tinha tendência a cometer alguma tolice.


Então... – Justin começou a dizer – eu sei que você deve estar pensando que saímos do hotel para passar algum tempo juntos passeando pela cidade, mas na verdade não é esse o meu plano.
            Levantei a cabeça para encará-lo. — Não?
Não. Viemos aqui porque precisávamos comer antes de viajar.
Viajar? – levantei as sobrancelhas surpresa – Pra onde?
É uma surpresa. – ele disse piscando um olho, mostrando-me aquele seu sorriso travesso – Um jatinho já está a nossa espera, assim que saímos daqui deveremos ir encontrá-lo.
Mas e nossas roupas?
Não se preocupe, já resolvi todos os mínimos detalhes em que você possa pensar. – ele segurou minhas mãos, olhando diretamente para meus olhos. – Está pronta?
Eu... eu acho que sim.

9 comentários:

  1. Como assim o ultimo? O.O OK A PRÓXIMA A TENTAR ALGO TRÁGICO SOU EU !!!! O.O PASMA...
    Mas tá lindo amor *o* dá até arrepio. Justin ó onde está Justin?

    ResponderExcluir
  2. Esta perfeito, amei meesmo!
    Mas concordo com a juuh, como assim o ultimo??
    Mas então, continua. Beijoos...

    ResponderExcluir
  3. Graças a Deus vc postou um capítulo novo, eu tava desesperada aqui, é sério.
    Continua logo

    ResponderExcluir
  4. Awn Débora, está muito lindo mesmo! Continuaa!

    ResponderExcluir
  5. eu amo o seu blog, e veja o meu blog vai ser sobre moda,por enquanto so tem 1 post, mas epois vão ter mais, mil beijos, e porta logo

    ResponderExcluir
  6. meu blog é esse http://emcimadosaltoagulha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. débora como presente de natal tu podia postar a outra parte como presente de NATAL né?! E é meu niver dia 27!!! ORRA DÉBORA PELO AMOR NÉ MENINA ?!
    @FcJazzyBiebz / @Juuh_zebrinha

    ResponderExcluir
  8. júlia meu nome também é júlia e meu blog sore moda é http://napontadosaltoagulha.blogspot.com
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkk' destinho. mil beijinhos....

    ResponderExcluir
  9. ooi.. deixa eu te pedir um favor? segue meu blog..

    http://alguemcomovocesly.blogspot.com

    ResponderExcluir

O que você achou sobre a postagem acima? Deixe sua opinião.